Método Pilates clássico e contemporâneo: conheça as diferenças

O método Pilates tem passado por modificações ao longo dos anos desde que começou a ser difundido por seu criador, o alemão Joseph Pilates, que já ensinava suas técnicas em diversas situações desde o início de 1900. Durante a Primeira Guerra Mundial, Joseph foi apreendido pelas autoridades britânicas e começou a treinar seus companheiros com o incipiente método Pilates, ao qual atribuiu a sobrevivência de seus colegas a uma epidemia de influenza. Quando ele foi transferido para um campo de concentração, onde foi enfermeiro e vigia, já utilizava as molas para fortalecer os músculos de seus pacientes.

É claro que desde a época em que Joseph Pilates ainda era vivo até hoje, o método Pilates se modernizou, e ainda é possível praticar a atividade nas formas clássica e contemporânea. Confira a diferença entre esses dois métodos Pilates

Método Pilates clássico

O método Pilates clássico segue a forma original concebida pelo seu criador. Joseph Pilates reuniu tudo que conhecia sobre yoga, dança e artes marciais para promover uma reabilitação, uma terapia aos pacientes para fortalecer corpo e mente, combinando seus princípios fundamentais de calma, relaxamento, fluidez, respiração consciente e trabalho com o centro do corpo.

A dança teve sua influência no Pilates em sua forma clássica contribuindo com o movimento de fluxo constante, sem parada, do início ao fim. Quanto aos equipamentos, são utilizados apenas os originais concebidos por Pilates. As molas, já citadas anteriormente, guardam essas características do método clássico.

No método clássico, geralmente, o instrutor não demonstra os exercícios e apenas conduz os praticantes por meio de instruções verbais, com sessões individuais ou em duplas. Na época de Joseph Pilates, essa atenção mais individualizada tinha o objetivo de dar maior consciência corporal ao aluno para depois fazer os exercícios sem auxílio e de forma natural.

Método Pilates contemporâneo

O Pilates contemporâneo conta com algumas adaptações tanto em relação à estrutura dos treinos quanto aos equipamentos. As bolas, os discos de equilíbrio e outros acessórios usados atualmente nos estúdios não existiam na época em que Pilates criou o método, mas são muito eficazes para executar diversas posturas seguindo as técnicas e princípios.

Quanto à estrutura dos treinos, no método contemporâneo pode-se trabalhar com vários alunos de uma vez, geralmente grupos de quatro pessoas. Para dar mais dinamismo são feitos circuitos, que aproveitam melhor o tempo da aula. Além disso, é comum os instrutores hoje em dia fazerem uma demonstração dos exercícios, em vez de apenas explicar como é feito no método clássico.

Exercícios do Pilates clássico

Há diversos exercícios que podem ser feitos em dupla do método clássico sem a utilização de equipamentos. The Hundred, Single Leg Stretch, Roll Up, Double Leg Stretch, Rolling Back, High Bridge, Twist, Spine Stretch, Criss Cross e o Teaser podem ser feitos no chão, sentado ou deitado, apenas usando um tapetinho para garantir maior conforto. Esses exercícios podem ser executados junto com um colega de aula ou até mesmo com o instrutor, caso seja necessário.    

Mas diante destas diferenças qual versão escolher? Tanto o Pilates clássico quanto o contemporâneo trarão benefícios aos seus praticantes, desde que seus exercícios sejam executados seguindo os princípios essenciais do Pilates e com o acompanhamento de um profissional qualificado. Na Clinica Ana Zandoná, trabalhamos com os dois métodos, clássico e contemporâneo e considerando que as aulas são ministradas exclusivamente por fisioterapeutas, o plano de aula é estabelecido respeitando as individualidades e patologias instaladas de cada aluno.

Comentários

2020-01-28T15:11:45-03:00